fbpx

Na era das redes sociais, Diogo Nazário explica como advogados podem atrair clientes – Reportagem ISTOÉ

As redes sociais são utilizadas por profissionais de diversas áreas no sentido de atrair clientes para os seus serviços. No entanto, no caso dos advogados, é preciso seguir regras determinadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) nas plataformas digitais, entre as quais a proibição de fazer propaganda direta do seu trabalho. Ainda assim, não há qualquer impedimento para especialistas do ramo fazerem marketing jurídico.

Diogo Nazário, advogado e especialista em marketing digital, explica que, apesar das limitações impostas pela entidade que representa e regulamenta a advocacia, bacharéis em direito podem impulsionar conteúdos nas redes sociais, participar de transmissões ao vivo (também chamadas de “lives”) e usar ferramentas como chatbots e WhatsApp para atender possíveis clientes.

“O marketing jurídico deve ser utilizado para fins educativos. Desse modo, não há problema caso o advogado atraia clientes usando as redes sociais, desde que compartilhe conteúdos explicativos sobre o universo jurídico”, afirma o especialista.

Na opinião de Nazário, o bom uso das plataformas digitais faz com que advogados obtenham autoridade no campo da legislação, o que, por sua vez, fortalece a confiança dos seguidores no profissional.

Nesse sentido, o especialista destaca que os advogados precisam pensar tanto no conteúdo jurídico como na forma de apresentar o material, ao utilizar os recursos de marketing disponíveis.

“Para se tornar um profissional de referência na internet, é preciso elaborar conteúdos ricos em informação, elucidativos, claros e consistentes”, sinaliza. “No entanto, para que o material seja propagado, só isso não basta. É preciso investir em estratégias de marketing digital”, acrescenta.

Na era das redes sociais, Diogo Nazário explica como advogados podem atrair clientes.

Na era das redes sociais, Diogo Nazário explica como advogados podem atrair clientes

Dentre as possibilidades, Nazário aponta que estratégias de conteúdo bem-sucedidas levam em conta a frequência das postagens, a distribuição dos materiais (feed e stories, por exemplo, no caso do Instagram) e a interação do influencer jurídico com os seguidores. “Vale lembrar que o marketing digital só vai funcionar se o conteúdo jurídico tiver qualidade”, pontua.

Por fim, o especialista salienta que, conforme as regras da OAB, os advogados não podem, nas plataformas digitais, fazer referências diretas ou indiretas sobre honorários, divulgar informações e dados que possam induzir ao erro, supervalorizar o escritório para o qual trabalham ou têm participação societária.

“Também não pode dizer que é especialista em determinada área sem ter o respectivo título. Advogados, melhor do que ninguém, devem saber que a internet não é terra sem lei”, conclui.

Jorge Fayad Nazário Advogados, é uma sociedade de advogados inscrita na OAB/PR sob o nº 8750 e inscrita no CNPJ sob o nº 33.653.655/0001-18 ©️ 2021 Todos os direitos reservados.

Enviar Mensagem
Como podemos te ajudar hoje ?
Olá
Como podemos te ajudar hoje?